“Meu filho não me obedece” – 8 dicas eficazes para Pais de Crianças da Nova Era

VanessaQueiroz-05

Primeiramente gostaria de parabenizar vocês, Pais de Crianças da Nova Era, por terem colocado neste planeta um ser tão único e com um grande potencial! Sim, único e com um grande potencial. Sei que pode parecer difícil de enxergar isto quando nos deparamos com situações de desentendimento, mas está é a verdade. As Crianças da Nova Era veem encarnando com mais e mais frequência nos últimos tempos com um grande chamado e vocês, Pai e Mãe, fazem parte disto!

A capacidade desses seres em enxergar a verdade que existe por trás de tudo, ou seja, a capacidade que tem em descortinar as ilusões e mentiras, faz das Crianças da Nova Era no mínimo diferentes, diferentes de nós. Esta diferença está diretamente ligada à capacidade de SENTIR. Os Índigos simplesmente sentem as pessoas ao invés de entendê-las ou julgá-las. Nós olhamos as pessoas e vemos sua aparência, vestimentas, gostos, hábitos e achamos que as conhecemos. Às vezes vivemos anos ao lado de alguém e depois de anos, ainda nos surpreendemos dizendo: ‘Não conheço você’. Esta sensação acontece porque projetamos no outro aquilo que temos em nós. A psicologia e a psicanálise explicam isso muito bem, cabendo um artigo à parte para escrever sobre este assunto, mas a grande questão aqui é que os Índigos conseguem separar o que é deles e o que é do outro.

Eles são capazes de visualizar a verdadeira essência das pessoas na mais pura simplicidade e, melhor, entender como funcionam e muitas vezes ajudá-las a entenderem isso. São seres iluminados, com propósitos diferentes e com conhecimento que nós não temos consciência ainda.

É fantástico analisar e compreender como isso acontece em suas vidas, mas vale ressaltar que não é fácil, pois as pessoas, de uma forma geral, não estão preparadas para isso. É daí que encontramos dificuldades em aplicar o que conhecemos como “educação em casa” no caso das Crianças da Nova Era. É exatamente aí que os Índigos começam a sentir-se ‘de outro mundo’, sentem-se incompreendidos por nós, potencializando desentendimentos entre pais & filhos.

Estamos preparados para lidar e conviver com estes seres tão diferentes e iluminados? Sabemos nos relacionar com eles? Minha resposta é: algumas pessoas tem mais dificuldade e outras menos, mas sabemos nos relacionarmos sim! Precisamos identificá-los e entender que podemos aprender muito com eles, pois está é uma parte do chamado dessas crianças: a evolução.

VanessaQueiroz-04

 

As Crianças da Nova Era querem nos dizer que a missão que as trouxe até nós é justamente a de mostrar a verdadeira realidade do nosso planeta e paralelamente desmistificar o ‘mundo aparente’ em que vivemos. Parece complicado?

Veja abaixo 8 maneiras de desmistificar e melhorar o seu relacionamento com a sua Criança da Nova Era:

  • 1 – ESTUDE SUA CRIANÇA

Esperamos que as crianças consigam fazer coisas antes de estarem prontas. Pedimos a um bebê que fique quieto. Pedimos a uma criança de quatro anos que limpe seu quarto. Em todas essas situações, estamos sendo irrealistas. Estamos causando nossa própria decepção e fazendo com que a Criança enfrente fracassos repetidos ao tentar nos agradar. Ainda assim, muitos pais pedem a seus filhos pequenos que façam coisas que até uma criança maior acharia difícil. Em resumo, pedimos que as crianças parem de agir conforme a sua idade, e mais importante, parem de agir conforme a sua essência. Para as Crianças da Nova Era é importantíssimo o reconhecimento de sua essência e por isso não lida bem com autoridade. Este é um dos motivos que ouvimos muitos pais reclamando “Meus filhos não fazem o que eu mando”.

Entenda como seu filho funciona: faça anotações de seus comportamentos, recolha dados importantes como o que ele gosta, o que irrita, o que acalma e quais situações isto acontece. Considere isto como uma chave para um relacionamento saudável. Não tente aplicar o que lhe foi aplicado como “educação”, mas crie uma maneira de educar somente sua Criança da Nova era.

  • 2 – CRIE UM RELACIONAMENTO BASEADO NA GRATIDÃO

Ficamos bravos quando uma criança não consegue suprir nossas necessidades. Uma criança só pode fazer o que está preparada para fazer. Se ela não consegue fazer algo que lhe pedimos, é injusto esperar ou exigir mais, e a raiva só piora as coisas. Uma criança de dois anos só pode agir como alguém de dois anos, uma criança de cinco anos não pode agir como quem tem dez, e uma criança de dez anos não pode se comportar como adulto. Esperar mais do que isso é irrealista e não ajuda em nada. Existem limites para o que uma criança pode conseguir e, se não aceitarmos esses limites, isso só pode resultar em frustração para os dois lados. As Crianças da Nova Era são muitas vezes consideradas agressivas ou sem paciência e são situações como estas que as fazem perder a compostura. Elas não são adultos, não como nós, mas possuem um interior já construído e não apreciam uma conversa desnivelada.

Lembre-se que a Criança da Nova Era SENTEM diferente de nós e com isso, situações de conflito onde expectativas são inalcançáveis os machucam. Reflita e verifique como não transferir suas expectativas para as Crianças, isto fará total diferença e como eles SENTEM diferente de nós, sentirão seu esforço e será construído um relacionamento baseado não só no amor entre pais & filhos, mas em GRATIDÃO entre pais & filhos.

  • 3 – IMAGINE-SE NO LUGAR DELA

Desconfiamos dos motivos das Crianças. Se uma criança não consegue suprir nossas necessidades, supomos que ela está nos desafiando. Para determinar a verdade da questão, precisamos examinar a situação bem de perto a partir do ponto de vista da criança. Na realidade, uma criança “desafiadora” pode estar doente, cansada, com fome, dor, respondendo a um machucado físico ou uma mágoa emocional, ou lutando com um problema oculto, como uma alergia alimentar. No entanto, parecemos desconsiderar essas possibilidades e pensamos o pior sobre a “personalidade” da Criança.

Entenda que uma Criança da Nova Era possuí um nível de complexidade de um adulto. Imagine-se no lugar dela, com problemas às vezes tão grandes como os nossos, mas num corpo de criança sem poder se explicar de maneira que nós entenderíamos. Difícil, não é? Por isso, precisamos nos centrar cada vez mais em nossas vidas para que quando estivermos em uma vida em conjunto, possamos nos relacionar de maneira harmoniosa sem descontar nossos problemas nos outros, considerando que todos temos problemas, não importa a idade.

  • 4 – ABRA A CABEÇA

Culpamos e criticamos quando uma criança comete um erro. As crianças tem muito pouca experiência de vida e, inevitavelmente, vão cometer erros. Essa é uma parte natural do aprendizado em qualquer idade. Em vez de entender e ajudar a criança, nós a culpamos, como se ela devesse ser capaz de aprender tudo perfeitamente da primeira vez. Errar é humano; errar na infância é humano e inevitável. No entanto, reagímos a cada erro, a cada desobediência a uma regra ou a um comportamento inadequado, com surpresa e decepção. Não faz sentido sabermos que uma criança vai cometer erros e depois reagirmos como se pensássemos que ela deveria se comportar perfeitamente em todos os momentos.

A Criança da Nova Era possuí uma visão de mundo diferente da nossa fazendo com que as expectativas que temos sobre eles e sobre a vida não façam o menor sentido para eles. Quem já tem a sua Criança da Nova Era com mais de 10 anos deve ter percebido isso, eles pensam e almejam diferente de nós. Então para nos relacionarmos de maneira saudável com eles precisamos respeitar que eles vieram diferentes e com intenções diferentes das nossas. Esperar que eles realizem os nossos sonhos seria algo inatingível, pois eles possuem um mapa diferente do nosso. Ao longo da criação destas Crianças devemos levar em conta o apoio e a aceitação de quem são, eles serão eternamente gratos por isso.

  • 5 – CUIDADO COM A MENTIRA

Esquecemos como a culpa e a crítica podem ferir profundamente uma criança. Muitos pais estão começando a entender que machucar fisicamente uma criança é desnecessário e prejudicial, mas muitos de nós esquecemos como palavras raivosas, insultos e culpa podem ser dolorosos para uma criança que só pode acreditar que é inadequada, incompetente e que não é amada.

As Crianças da Nova Era não suportam mentiras e o que é mentira se não o julgamento, a crítica e palavras raivosas. Estamos falando de seres que são puros e intolerantes a impureza. Não confunda com fragilidade, existe força nestas Crianças, a força de sentir e não aceitar palavras raivosas como uma verdade.

  • 6 – SEJA CRIATIVO

Esquecemos como as ações amorosas podem ser curativas. Caímos em círculos viciosos de culpa e comportamento inadequado, em vez de parar para dar à criança amor, tranquilidade, autoestima e segurança com abraços e palavras gentis. Como Madre Teresa escreveu: “Palavras gentis podem ser curtas e fáceis de falar, mas seus ecos são verdadeiramente infinitos”.

A Criança da Nova Era sente uma necessidade, diferente da nossa, de inclusão e aceitação na família. Ao longo de sua vida ela irá se desenvolver a modo de encontrar seus amigos Índigos, mas antes disso nós, Pais, somos seus amigos. Com isso, se proponha a ser amigo, não pais de sua Criança da Nova Era. Pergunte qual passeio ou programa ela gostaria de fazer com você, qual seria a melhor maneira de vocês se divertirem. Coloque-se no lugar dela e seja amigo do seu(sua) filho(a). 

Lembre-se: Crianças da Nova Era possuem habilidades que um adulto não tem e ela pode lhe levar a conhecer partes de você nunca conhecidas antes.

  • 7 – CUIDADO COM O SCANER

Esquecemos que nosso comportamento passa as lições mais fortes para a criança. Na verdade, “não é o que dizemos, mas o que fazemos” que a criança absorve. Um pai que bate em uma criança porque ela bateu em um amiguinho, e lhe diz que bater é errado, na verdade está ensinando que é certo bater – pelo menos, se quem bate tem poder. O pais que respondem aos problemas com soluções pacíficas, ensina o filho como ser um adulto pacífico. Os problemas e desafios representam as melhores oportunidades para ensinar valores, pois as crianças aprendem melhor quando estão aprendendo em situações da vida real.

Lembre-se : a Criança da Nova Era é como um scaner. Tenho certeza que você já reparou neste olhar crítico de um Índigo para determinadas ações, não é? Ela vê tudo e sente tudo, analisa e filtra em seus valores onde a “mentira” não tem lugar. Se fazemos algo ‘errado’ e isto passa no scaner da Criança da Nova Era, criamos um distanciamento instantâneo. Ele pode ser recuperado? Sim, claro. Mas lembre-se que se fazemos algo correto e isto passa no scaner da Criança da Nova Era, criamos uma aproximação instantânea e uma chance de vinculo fortalecido.

  • 8 – SUPONHA O MELHOR

Vemos apenas o comportamento exterior, não o amor e as boas intenções dentro da criança. Quando o comportamento de uma criança nos decepciona, deveríamos – mais do que qualquer outra coisa – “supor o melhor”. Deveríamos supor que a criança tem boa intenção e está se comportando o melhor possível, considerando todas as circunstâncias (tanto as óbvias como as que não percebemos) e seu nível de experiência na vida. Se sempre supusermos o melhor sobre nosso filho, ele estará livre para fazer o melhor que puder. Se só dermos amor, só receberemos amor.

Por mais difícil que às vezes pareça, entenda que a Criança da Nova Era não pretende te desafiar, se ela não se sentir desafiada. Elas possuem um senso de independência muito forte e isto é algo a se orgulhar pois nós somos ensinados a sermos independentes, mas não nascemos assim. Repare: podemos afirmar que eles já vieram “prontos”. Se entendermos isto veremos que o “problema” se torna “solução”. Valorize as características da sua Criança da Nova Era e os observe sempre sob o prisma positivo. Lembre-se que estas Crianças são muitas vezes diagnosticadas erroneamente e medicadas desde cedo fazendo com que todas as características únicas e de “berço” se percam.

Eu sei que parece desafiador e realmente é, estas Crianças fazem com que a gente se modifique. O melhor da história é que é para o melhor. O que aprendemos, e aprenderemos com elas será refletido em tudo, em todos e no planeta.

VanessaQueiroz-06

 

É imprescindível que tratemos nossos filhos como se fossem adultos em corpos infantis e que sejamos absolutamente verdadeiros e amigos deles. Enquanto acreditarmos que sabemos mais, que temos mais condições de ensiná-los porque somos vividos e adultos, estaremos contra a natureza e missão de vida deles, afinal todos fazemos parte do mesmo processo de transformação planetária. Por isso oriento sempre aos pais simplesmente: amem seus filhos sem apego, creiam, eles sabem o que lhes é melhor.

Deixo aqui à vocês a citação de Lee Carroll sobre as Crianças da Nova Era:

 “(…) o que elas realmente trazem desde o nascimento é a conexão entre o conhecimento e a criatividade. Eles auxiliam o mundo a evoluir para um lugar melhor e altamente esotérico para que toda a humanidade perceba que somos um e que não nos beneficiamos com a competição.” (Lee Carroll)

Desejo que este artigo tenha lhe dado informações chaves para melhorar e compreender o relacionamento com uma Criança da Nova Era. 

Grande abraço, sempre à disposição.

Vanessa Queiroz